Oferecer variedade é essencial

Nathalia Molina - Especial para o Estado

31/07/2018 | 05h00    

Empresas aumentam portfólio, determinante para e-commerce

Variedade de itens e facilidade de pagamento é a combinação usada por sites de compras. Considerando os ótimos índices apurados, a fórmula parece suprir o necessário na categoria, na qual os serviços, em especial o portfólio de produtos, são o fator determinante para escolher a fornecedora.

Escolha PME 2018 - Site de Compras

Escolha PME 2018 - Site de Compras Foto:

As mais bem avaliadas de 2017 continuam, na mesma ordem, e melhoraram seus resultados em 2018. A Americanas.com manteve a liderança, com 90 pontos (2 a mais). “Investimos em tecnologia, logística e gente especializada para melhorar a qualidade do atendimento, oferecendo navegação fácil, amplo sortimento e entregas no menor tempo possível”, diz Leonardo Rocha, head da companhia.

Kalunga e Mercado Livre subiram 9 e 8 pontos, respectivamente, alcançando 86 e 83. “Nosso maior volume, entre 55% e 60%, é de PMEs”, conta Hoslei Pimenta, diretor comercial da Kalunga, que vende material de escritório e escolar para papelarias e colégios. “Nosso Natal é janeiro e fevereiro (período de maior procura).”

Americanas amplia itens e distribuição

Em torno de 12 mil empresas vendendo cerca de 5,3 milhões de produtos: assim é o marketplace da americanas.com (marca da B2W, que detém ainda Submarino e Shoptime). A solução funciona como um shopping virtual, em que empresas cadastram mercadorias. “No primeiro trimestre, o número de itens na Americanas.com cresceu 65% em relação ao mesmo período do ano passado, impulsionado pelo marketplace”, conta Leonardo Rocha, head da Americanas.com. 

A companhia acredita no poder do segmento PME como nicho de mercado. “Investimos cada vez mais no nosso marketplace, conquistando sellers com produtos voltados ao empreendedor.” Entre os exemplos, há carrocinha de churros e fatiador industrial de frios.

Com o intuito de melhorar a entrega, em maio deste ano a companhia abriu seu centro de distribuição para que as empresas do marketplace usem sua estrutura para estoques. “Liberamos nossa plataforma de logística e distribuição para 7,7 mil sellers, o que representa 64% dos parceiros conectados ao marketplace. Entendemos que, para o cliente PME, contar com o sortimento que precisa no menor tempo é fator de decisão na escolha do site.”

Na Kalunga, um site mais funcional

Com 46 anos de atuação no varejo e 180 lojas físicas, a Kalunga quer ampliar seu e-commerce, no ar desde 2001. “Muito do nosso crescimento é graças a PMEs e novas empresas”, diz Hoslei Pimenta, diretor comercial da vice-líder na categoria. “Desde a origem, a Kalunga sempre esteve próxima do segmento PME. Mas nos últimos anos a gente tentou ser melhor nisso, desenvolveu funcionalidades no site, como a ferramenta de gestão de compra.” 

Referência em papelaria, a Kalunga tem ampliado a oferta. “Nosso mix vem se aperfeiçoando. Nas reuniões semanais, a gente pensa se um produto é apropriado para empresas, como café e material de limpeza.” Neste ano, a companhia deve abrir 35 lojas. “As empresas passam a conhecer a Kalunga. A presença física ajuda a melhorar a venda no site, dá credibilidade”, explica Pimenta.

Terceiro lugar em satisfação, o Mercado Livre lidera em objeto de desejo. “Atuamos constantemente para aprimorar a experiência de compra e venda no site, o quinto mais visitado no Brasil e o mais acessado entre todos os de comércio eletrônico do País (dados de janeiro de 2018 da ComScore)”, diz Bruno Guarnieri, gerente de Marketplace da companhia.